Over 10 years we help companies reach their financial and branding goals. Engitech is a values-driven technology agency dedicated.

Gallery

Contacts

411 University St, Seattle, USA

+1 -800-456-478-23

Sem categoria

Polícia federal dos EUA diz que hackers comprometeram 500 mil aparelhos em 54 países, e pede que dispositivos sejam reiniciados para interromper o malware e ajudar na identificação de aparelhos infectados.

O FBI, a polícia federal americana, alertou nesta semana que hackers estrangeiros haviam comprometido “centenas de milhares de roteadores de casas e escritórios” com o malware VNPFilter e recomendou que usuários em todo mundo reiniciassem seus aparelhos.

Malwares são softwares maliciosos programados para se infiltrar em um computador alheio de forma ilícita. Segundo o FBI, esse programa específico é capaz de bloquear o tráfico da internet, coletar informações que passam pelos roteadores e deixar este inoperante.

“O FBI recomenda a qualquer proprietário de roteadores em escritórios pequenos e casas que reinicie seus aparelhos para interromper temporariamente um malware e ajudar com a possível identificação de dispositivos infectados”, disse a agência em um comunicado oficial e também na conta do Twitter.

Caso não seguissem a orientação, usuários corriam o risco de ter seus roteadores fora de operação e perder o acesso à internet, segundo o FBI.

Estima-se que pelo menos 500 mil roteadores foram afetados em 54 países, de acordo com o grupo Cisco Talos, especializado em segurança cibernética, que há meses investiga esse programa malicioso. A lista dos países afetados não foi revelada.

“Os dispositivos conhecidos afetados pelo VPNFilter são equipamentos de Linksys, MilkroTik, NETGEAR e TP-Lynk em escritórios pequenos e em casas. Nossa investigação continua”, detalhou a Cisco em um comunicado no dia 23 de maio.

A Cisco também recomendou aos usuários de internet que restabeleçam as configurações originais de fábrica de seus dispositivos e reiniciem seus roteadores.

Mas por que é necessário tomar essas medidas?

Segundo o Departamento de Segurança dos EUA, a principal suspeita pesa sobre grupo de hackers conhecido como Sofacy (Foto: Getty Images)

Potencialmente destrutivo

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos atribuiu o ataque a um grupo conhecido como “Sofacy”, mas também é chamado de “apt28” ou “fancy bear”.

O Sofacy existe desde 2007 e, segundo um comunicado do Departamento de Estado americano, opera contra “governos, exércitos, organizações de segurança e outros grupos que lidam com inteligência”.

O jornal americano The New York Times diz que serviços de inteligência dos EUA e da Europa acreditam que o grupo “seja dirigido pela agência de inteligência militar da Rússia”, e que esteve por trás dos ataques ao Comitê Nacional do Partido Democrata antes das eleições presidenciais de 2016.

O FBI disse que o impacto desse malware é significativo. Ele é capaz de recolher informações que passam pelos roteadores e de torná-los inoperantes.

A Cisco advertiu que o malware tem “potencial de cortar o acesso à internet de centenas de milhares de vítimas em todo o mundo”.

A empresa divulgou as informações depois de detectar um aumento repentino no número de roteadores vulneráveis no início de maio, em especial na Ucrânia.

“Temos observado o VPNFilter, um malware potencialmente destrutivo que está afetando dispositivos ucranianos a um ritmo alarmante”, assinalou a Cisco. “A escala e a capacidade desta operação são preocupantes”, completou.

O código VPNFilter tem algumas semelhanças com o malware Black Energy, usando em ataques à rede elétrica na Ucrânia em dezembro de 2015.

Dessa vez, contudo, o FBI parece ter frustrado os preparativos para um novo ataque. No dia 23 de maio, um juiz federal da Pensilvânia (EUA), ordenou que o FBI tomasse o controle do domínio ToKnowAll.com, uma página de internet que ajudava hackers a estabelecer comunicação com os roteadores infectados.

Os equipamentos afetados se conectavam periodicamente com esse endereço para atualizar o VPNFilter. Ao assumir o controle do domínio, o FBI passou a ter capacidade de localizar dispositivos infectados e de limpá-los.

“Isso irá redirecionar as tentativas do malware de reinfectar o dispositivo para um servidor controlado pelo FBI, que irá capturar o endereço dos dispositivos infectados”, esclareceu o Departamento de Justiça.

Reiniciar roteadores, como pediram o FBI e a Cisco, ajuda que o programa peça “instruções” ao domínio, que agora está sob o controle da polícia federal americana.

O Departamento de Justiça explicou que a medida “maximiza as oportunidades de identificar e remediar que equipamentos sejam infectados em todo o mundo antes que a Sofacy se aproveite da vulnerabilidade” da infraestrutura.

 

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
Criado por WP RGPD Pro